Sistema de sites avançados
Sites web de empresas que fazem parte do Groing Outros serviços do sistema Groing Empresas destacadas no sistema Webmaster, creador del sistema Groing
Suporte online
Suporte online

E-mail

 

E-mail, ou em inglês electronic mail, é um serviço de rede que permite aos usuários enviar e receber mensagens rapidamente (também denominados mensagens eletrônicos ou cartas eletrônicas) por meio de sistemas de comunicação eletrônicos.

 

O e-mail antecede a Internet e, foi uma ferramenta crucial para que esta pudesse ser criada.

 

Em uma demostração do MIT (Massachusetts Institute of Technology) de 1961, se exibiu um sistema que permitia a vários usuários ingressar a uma IBM 7094 desde terminais remotos, e assim guardar arquivos no disco. Isto fez possível novas formas de compartir informação. O e-mail começou a ser utilizado em 1965 em um supercomputador de tempo compartilhado e, para 1966, se havía extendido rapidamente para utilizar-se nas redes de computadores.

 

Em 1971 Ray Tomlinson incorporou o uso da arroba (@). Escolheu a arroba como divisor entre o usuário e o computador, na caixa de correio, porque até esse momento, não existia a arroba em nenhum nome nem apelido.

 

O nome correio eletrônico proveêm da analogia com o correio postal: ambos servem para enviar e receber mensagens, e utilizam "correios" intermediários (servidores), onde as mensagens se guardam temporalmente antes de se dirigir a seu destino, e antes de que o destinatário as revise. Para que uma pessoa possa enviar um e-mail a outra, ambas tem que ter uma direção de correio eletrônico. Essa direção tem que dar um provedor de correio, que são os que oferecem o serviço de envio e recepção. É possível utilizar um programa específico de correio eletrônico (cliente de correio eletrônico ou MUA, do inglês Mail User Agent) ou uma interface web, a qual se acessa com um navegador web.

 

Direção de e-mail

 

Uma direção de correio eletrônico, ou e-mail, é um conjunto de palavras que identificam a uma pessoa que pode enviar e reciber e-mails. Cada direção é única e pertence sempre a mesma pessoa.

Um exemplo é: pessoa@empresa.com, onde se lê: pessoa arroba empresa ponto com. O sinal @ (chamado arroba) sempre está nas direções de e-mail, e as divide em duas partes: o nome de usuário (a esquerda da arroba; nesse caso, pessoa), e o domínio no que está (o da direita da arroba; nesse caso, empresa.com). A arroba também se pode ler "en", já que pessoa@empresa.com identifica ao usuário pessoa que está no servidor empresa.com (indica uma relação de propriedade).

Uma direção de e-mail se reconhece facilmente porque sempre tem a @, onde a @ significa "pertence a..."; diferentemente da direção de um site . Por exemplo, enquanto que http://www.serviço.com/ pode ser um site onde tem informação (como em um livro), pessoa@serviço.com é a direção de um e-mail: ao qual se pode escrever.

 

O que está a direita da arroba é precisamente o nome do provedor do correio, e por isso é algo que o usuário não pode mudar. Por outro lado, o que está a esquerda depende normalmente do que escolha o usuário, e é um identificador qualquer, que pode ter letras, números, e alguns símbolos.

É aconselhável escolher uma direção fácil de memorizar para assim facilitar a transmissão correta desta a quem deseje escrever um correio ao proprietário, sendo necessário transmiti-la de forma exata, letra por letra. Um só erro fará que as mensagens não cheguem ao destino.

É indiferente que as letras que integram a direção estejam escritas em maiúscula ou minúscula. Por exemplo, pessoa@serviço.com é igual a Pessoa@Serviço.com.


Provedor de e-mail

Para poder enviar e reciber e-mails, geralmente tem que estar registrado em alguma empresa que ofereça este serviço (gratuito ou pago). O registro permite ter uma direção de e-mail pessoal, única e duradeira, a que se pode acessar por meio de um nome de usuário e uma contrasenha. Existem vários tipos de provedores de e-mail, que se diferenciam sobre tudo pela qualidade do serviço que oferecem. Basicamente, se podem dividir em dois tipos: os e-mails pagos e os gratuitos.


Gratuitos

Os e-mails gratuitos são os mais usados, embora incluam alguma publicidade: umas gravadas em cada mensagem, e outras na interface que se usa para ler o e-mail.

Muitos só permitem ver o e-mail de um site próprio do provedor, para ter certeza de que os usuários recebam a sua publicidade. Em vez disso, outros permitem também usar um programa de e-mail configurado para que se descarregue o e-mail de forma automática. Uma desvantagem destes e-mails é que em cada direção, a parte que tem a direita da @ mostra o nome do provedor; por exemplo, o usuário "eu" pode acabar tendo o e-mail: eu@correio-gratuito.com. Este tipo de direção desagrada a alguns (sobre tudo, a empresas)e por isso, é comum comprar um domínio próprio, para ter um aspecto mais profissional.


Pagos

Os e-mails pagos normalmente oferecem todos os serviços disponiveis. É o tipo de e-mail que um provedor de Internet da quando se contrata a conexão. Também é comum que uma empresa registradora de domínios venda, junto com o domínio, várias contas de correio para usar junto com esse domínio (normalmente, mais de um).

Também se pode considerar de pago, o método de comprar um nome de domínio e instalar um computador servidor de correio com os programas apropriados (um MTA). Não tem que pagar cotas pelo correio, mais sim pelo domínio, e também os gastos que se tem manter um computador ligado todo o dia.


Correio web

Quase todos os provedores de e-mail dão o serviço de correio web (webmail): permitem enviar e reciber e-mail por meio de um site desenhado para isso, e por tanto usando só um navegador web. A alternativa é usar um programa de correio especializado.

O correio web é cômodo para muitas pessoas, porque permite ver e armazenar as mensagens de qualquer lugar (em um servidor remoto, acessível pelo site) em vez de um computador pessoal concreto.

Como desvantagem, é difícil de ampliar com outras funções, porque o site oferece um conjunto de serviços concretos e não podemos mudar-los. Ademais, pode ser mais lento que um programa de correio, já que tem que estar continuamente conectado a sites e ler os e-mails de um por um.


Cliente de e-mail

Também estão os clientes de correio eletrônico, que são programas para gestionar as mensagens recibidas e poder escrever novos.

Suelen incorporar muitas mais funcionalidades que o e-mail, já que todo o controle do correio passa a estar no computador do usuário. Por exemplo, alguns incorporam potentes filtros anti-spam.

Pelo contrário, necessitam que o provedor de e-mail ofereça este serviço, já que não todos permitem usar um programa especializado (alguns só oferecem correio web). Em caso de que se permita, o provedor tem que explicar detalhadamente como ter que configurar o programa de e-mail. Esta informação sempre está em seu site, já que é imprescindivel para poder fazer funcionar o programa, e é distinta em cada provedor. Entre os dados necessários estão: tipo de conexão (POP ou IMAP), direção do servidor de e-mail, nome de usuário e contrasenha. Com estes dados, o programa já é capaz de obter e descarregar nosso e-mail.

O funcionamento de um programa de e-mail é diferente ao de um e-mail, já que um programa de correio descarrega de golpe todas as mensagens que temos disponiveis, e logo podem ser lídos sem estar conectados a Internet (ademais, ficam gravados no computador). Em vez disso, em um site, se pode ler de um em um, e tem que estar conectado a Internet todo o tempo.

 

 

 

Os planos iguais ou superiores ao G-3 tem email incluído.

 

 

Groing - O portal otimizado ao google.
Quem Somos |  Buscador Meupaís.es em seu navegador  |  Tenha seu site hoje mesmo |  Adicionar aos favoritos |  Blog |  Web do autor |  Nossos serviços